quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

Como estudar FÍSICA?

Não é preciso ser um gênio para entender Física. Na verdade, ser um pouco inteligente facilita bastante, mais isso vale para qualquer coisa que se aprenda. Apesar de não exigir necessariamente que o aluno seja extremamente inteligente, a Física exige um pouco de esforço e dedicação. O problema reside no fato de que muita gente costuma ver a Física como uma das disciplinas mais complicadas  de se estudar e, por isso, nem se esforça para entende-la




À esquerda, a figura conhecida do gênio Albert Einstein. Quando tinha aproximadamente 14 anos de idade, tinha a aparência da foto à direita. Ninguém diria que ele era um gênio se o conhecesse assim, não é mesmo?

Esse preconceito provavelmente existe porque a Física (e outras matérias parecidas) são diferentes da História, Geografia, Língua Portuguesa, Literatura, entre outros exemplos. Isso porque quando você estuda Língua Portuguesa ou História, a matéria passada pelo professor pode abranger muitas páginas do texto. A Física, do mesmo modo que a Matemática, é mais condensada. Uma tarefa pode cobrir apenas uma ou duas páginas, mesmo que dentro delas exista um monte de coisas novas a serem compreendidas. Você poderá até decorar a matéria, mas isto não adiantará nada. A parte mais importante da fica a carga da sua compreensão de um determinado fenômeno.
Algumas vezes, o seu trabalho é compreender uma lei. Depois que você a compreender – e a lei é muitas vezes expressa por uma equação – e puder explica-la e aplica-la na solução de problemas, você terá aprendido a lição.
Seguem algumas sugestões de estudo:

Fora de aula:
1.    Leia toda a matéria, a fim de saber do que se trata.
2.    Leia novamente a matéria, porém devagar e escreva no seu caderno a lei (se houver alguma) e outros pontos importantes que foram identificados por você ou pelo professor. Verifique se você compreende cada um desses pontos importantes.

3.    Se essa lei for expressão por uma equação matemática, pergunte-se a si mesmo de que maneira cada símbolo da equação está relacionado com essa lei. Por exemplo, em  T = F d (trabalho = força x distância), a lei nos diz que, multiplicando-se a distância por dois, o trabalho realizado seria duplicado, e diz também que, duplicando-se a força, duplicar-se-ia o trabalho.
4.    Resolva os problemas do texto.
5.    Discuta a matéria com os colegas.

Durante a aula:

1.    Faça perguntas a respeito do que você não compreende.
2.    Esteja aberto e pronto a explicar o que você entendeu.
3.    Pense por você mesmo; faça seu trabalho. Você não conseguirá aprender Física olhando para o seu colega.
4.    Estude todos os dias. Faça uma escala semanal, na qual deve ser colocado um horário de estudo para todas as matérias, com horas de estudo para cada uma delas. Tudo isso deve ser compatível com as suas necessidades e com a sua disponibilidade.
5.     “Bem antes dos exames, faça um resumo de todos os pontos obscuros da matéria e pergunte ao professor.
6.    Pense nas perguntas que você faria a si mesmo se fosse o professor. Tente responde-las.

Para resolver problemas:
1.    Leia o problema cuidadosamente. Compreenda o que está no enunciado.
2.    Escreva cada item que é dado no problema.
3.    Escreva o que deve ser encontrado, qual é o objetivo do problema.
4.    Pense num modo de resolvê-lo. Rapidamente, reflita se o modo imaginado por você é o único e/ou o mais fácil.
5.    Ataque o problema.

Adaptado pela equipe de Física do Colégio Cenecista Dr. José Ferreira, a partir do livro: Física na escola secundária, de Oswald H. Blackwood, Wilner B. Herron e William C. Kelly. Traduzido por José Leite Lopes e Jayne Tiomno, da editora “Instituto Nacional de Estudos Pedagógicos”, Rio de Janeiro, Brasil, 1958.




Se você gostou do blog, siga O mundo da FÍSICA no Facebook, no Twitter ou receba atualizações por e-mail fazendo seu cadastro na barra a direita


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens populares